ORQUIDEAS COMO HOBBY

As orquideas fascinam pela sua beleza, formato e cores.

Algumas exalam perfumes peculiares.

Outras são tão pequenas e as vezes não são valorizadas.

Existem, também, aquelas que chamam atenção pelo seu porte e algumas cujas flores duram até 60 dias.

Mas, o tempo médio de duração de uma flor está entre 2 a 4 semanas.

Tudo isso e alguma coisa mais, é que torna o seu cultivo uma "cachaça"; pelo menos é o que diz a maioria dos orquidófilos, e eu me incluo entre Eles

Luizlelo 10 03 2005

terça-feira, 9 de novembro de 2010

PRINCIPAIS DICAS PARA CULTIVAR ORQUIDEAS



ESTE LINK CONTEM DICAS MUITO BOAS.
NÃO DEIXE DE VER !!!



                                                                    Orquídeas de novembro

                                                                  Phaelenopsis
                                                                        Laelia Purpurata








+ DICAS .....

Aqui vão algumas dicas para você cultivar suas orquídeas e ter plantas fortes, saudáveis e bem floridas.
As orquídeas, de modo geral (Laelias, Cattleyas), demoram em média de 5 a 6 anos para florir. Depois, se forem bem tratadas, elas florescem todos os anos.

Os pseudobulbos que já deram flores, servem de reserva de alimento para os que virão nos anos seguintes.



1. Luz


A luz é essencial na vida de uma orquidea.

Uma boa forma de fornecer iluminação adequada para suas plantas é construir um viveiro, que seja coberto com tela de sombreamento.

Procure adquirir uma tela que dê 5O a 7O % de sombra.

Dessa forma, elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese.

Plantas com folhas amareladas são um indicativo de excesso de luz, ao passo que uma coloração verde escura quer dizer pouca luz, de forma que você terá que observar suas plantas para dar a elas um lugar adequado.

Você vai saber que acertou o local quando elas apresentarem uma coloração verde alface.


2. Temperatura


As orquídeas, normalmente, suportam temperaturas entre 1O a 3O graus centígrados ( o ideal é de 15 a 25º ).

Algumas aceitam temperaturas ainda mais baixas, como Dendrobium (olho de boneca), Cymbidium, Miltonias.



Outras não se adaptam ao frio intenso ( catleias ). É também o caso de algumas plantas nativas da região Amazônica.


Por isso é importante observar esse detalhe quando da aquisição de suas plantas.





3. Umidade

As orquídeas possuem um tecido esponjoso em volta de suas raízes, o velame, que absorve a umidade do ar.

Portanto, elas não precisam de tanta água, desde que a umidade relativa do ar esteja acima dos 50%.

Caso contrário, elas podem desidratar rapidamente.

Em dias quentes, é necessário manter o ambiente úmido e molhar não apenas as plantas, mas também o próprio local.

Fazer isto pela manhã ou no final da tarde, quando o sol está baixo.

Seu orquidário deve ser bem ventilado, porém devem ser evitadas correntes de vento, que também desidratam as plantas.



Quando devo regar?


Regue bem as plantas e só molhe de novo quando estiverem secas.

Coloque o dedo no substrato, e caso esteja seco está na hora de fazer nova rega.

As Vandas devem ser molhadas todos os dias, no inverno de manhã e no verão a noite.


É interessante verificar em qual substrato a orquidea está plantada:

- musgo: secagem lenta

- mistura de casca de pinus e carvão: secagem rápida

- seixo britado (pedrisco) : secagem rápida.



3 - Troca de substrato


A cada 2 anos faça o replante.

O ideal é utilizar um substrato que não seque muito rápido, nem se mantenha muito úmido.
Em um vaso não muito grande, introduza um fio de poliuretano nos furos internos do vaso, passe pelo fundo de modo a ficar com duas alças, depois coloca-se um pouco de brita no fundo do vaso, pois as plantas não toleram encharcamento e pode ocorrer apodrecimento das raízes, em seguida casca de pinus misturada c/ carvão com granulação maior (2 cm), depois coloca-se um pouco de musgo, e por último a planta.

Finalmente amarre uma das alças na parte traseira da planta e a outra na frente.

Encoste a parte traseira da planta no vaso.


4. Adubação


As orquídeas necessitam de alimento como qualquer outra planta.

A adubação orgânica faz com que a planta absorva os nutrientes devagar, pois o adubo é sólido e vai sendo diluído lentamente.

Você aplica uma pequena quantidade no canto do vaso a cada início de estação.

Já na adubação inorgânica, a planta absorve o alimento rapidamente, pois o adubo (NPK) é aplicado diluído na água (os orquidófilos mais experientes recomendam usar metade da dosagem indicada pelos fabricantes), e deve ser aplicado regularmente, a cada semana ou quinzena.

Na verdade, o ideal é usar as duas formas, alternadamente.

Separe as plantas pequenas das adultas e aplique uma formulação rica em Nitrogênio (30-10-10) para as menores.

Enquanto, para florescer, pulverize 2 meses antes da floração com um adubo químico mais rico em P e K (10-30-30).

Por outro lado, o adubo orgânico pode ser feito com farinha de osso (P), torta de mamona (N) e cinza de carvão vegetal ou de casca de arroz (K).

5. Pragas e Doenças

PLANTAS BEM ALIMENTADAS, DIFICILMENTE ESTÃO SUJEITAS A PRAGAS E DOENÇAS.



Falta de arejamento e de iluminação podem ocasionar o aparecimento de pulgões e cochonilhas. Planta encharcada pode ser atacada por fungos ou bactérias, causando apodrecimento de brotos novos.

Para solucionar esses problemas existem no mercado produtos de contato e produtos sistêmicos, tanto inseticidas como fungicidas.

Os de contato são usados na prevenção, enquanto que os sistêmicos são usados de forma curativa.

Eis algumas marcas desses produtos:
- inseticidas de contato: Malathion, Cipermetrina

- inseticidas sistêmicos: Tamaron

- fungicidas de contato: Manzate, Dithane M45, Captan

- fungicidas sistêmicos: Cerconil, Aliette,

- lesmicida: Mesurol

- bactericida: Kocide

- acaricida: Folidol
- formicida: k–otrine


6. Divisão e Replantio


A divisão e replantio devem se feitos quando a planta estiver emitindo raízes novas, não importando quando isto ocorre (inverno ou verão), já que cada planta tem sua época própria de enraizamento.

Na divisão, cada parte deve ficar com pelo menos três bulbos, tendo sempre o cuidado de esterilizar (com fogo) as ferramentas de corte, afim de se evitar a contaminação por vírus ou outras doenças.


7. Floração


Geralmente, cada espécie tem sua época de floração uma vez por ano.

No verão temos a floração de C. bicolor, C. granulosa, C. velutina, L. tenebrosa.

No outono, C. labiata, L. perrinii .

No inverno, C. walkeriana, C. trianaei, C. loddigesii, .

Na primavera, C. intermedia, C. nobilior, C. warneri, C. gaskeliana, L. purpurata.

Existem orquídeas, como certas Vandas, que, se bem tratadas, chegam a florir até duas vezes por ano; em casos raros, até tres vezes.

O mesmo acontece com certos híbridos, cujos pais têm diferentes épocas de floração.

O ideal é você ter plantas com diferentes períodos de floração.

Assim você terá flores o ano todo.